A Quaresma e as Cinzas

  • 0
27751697_2067865166573444_4752491783988991962_n

A Quaresma e as Cinzas

Category : Uncategorized

As cinzas que algumas tradições cristãs inclusive a nossa, recebem neste dia é um símbolo para a reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a passageira, transitória, efêmera fragilidade da vida humana, sujeita à morte. Ela ocorre quarenta dias antes da Páscoa sem contar os domingos e quarenta e seis dias antes da Sexta-feira Santa contando os domingos.27751697_2067865166573444_4752491783988991962_n

Independentemente da tradição cristã que pertençamos este simbolismo tem muito a ver com nossa existência e está em todo tempo presente nas Escrituras Sagradas como simbolismo pertinente de penitência e contrição. Os dois vocábulos utilizados no texto hebraico (êpher) e ( deshen) tem aplicações diferentes. O primeiro, em muitos dos textos traz a ideia metafórica de contrição, insignificância é aquilo que sobre depois da queima, ou seja, nada, algo sem valor.

Nos textos de Daniel 9:3 Por isso me voltei para o Senhor Deus com orações e súplicas, em jejum, em pano de saco e coberto de cinza. e Mateus 11:21   “Ai de você, Corazim! Ai de você, Betsaida! Porque se os milagres que foram realizados entre vocês tivessem sido realizados em Tiro e Sidom, há muito tempo elas se teriam arrependido, vestindo roupas de saco e cobrindo-se de cinzas. Trazem a ideia de contrição e a necessidade de arrependimento. O segundo traz a ideia da gordura queimada nos sacrifícios de animais, mas de alguma forma está ligado também ao momento de culto a Deus.

Em alguns casos a palavra é usada como sinal de purificação como por exemplo na comparação feita pelo escritor de Hebreus dos sacrifícios com o sangue de Cristo. Ora, se o sangue de bodes e touros e as cinzas de uma novilha espalhadas sobre os que estão cerimonialmente impuros os santificam, de forma que se tornam exteriormente puros, quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará a nossa consciência de atos que levam à morte, para que sirvamos ao Deus vivo! Hb 9:13-14.

De uma forma ou de outra a ideia das cinzas é a ideia de nossa pequenez diante de Deus, da necessidade de humilharmo-nos em sua presença, da imensa carência de perdão que existe em nós pelos nossos atos que se distanciam do perfeito propósito de Deus.

Quando um ministro coloca cinzas na fronte de um cristão, está dizendo que aquela pessoa se considera nada diante de Deus e que deseja escutar dEle a direção para a sua vida e que reconhece suas muitas limitações. Mesmo não havendo o costume da celebração de cinzas, não existe fé cristã sem a necessidade de que, em se reconhecendo essas limitações, colocar-se diante de Deus e aguçar os seus ouvidos para um tempo de escuta. Quaresma é esse tempo de escuta.

+Miguel Uchôa

Bispo Diocesano


Leave a Reply